Páginas

sexta-feira, 18 de abril de 2008

nivelando por baixo

li uma notícia hoje que me deixou perplexa (para ver a matéria original, clique aqui):

"
Em Taubaté, concurso para escriturário tem questões sobre BBB e casal 'global'

Quem não acompanhou a última edição do 'Big Brother Brasil' nem o fim do relacionamento de um casal de atores da TV Globo pode ter ficado de fora da seleção para escriturário da Prefeitura de Taubaté (130 km de SP).

Esses assuntos, entre outros, foram tema da prova do concurso público promovido pelo município no último domingo para a contratação de 40 escriturários (servidor encarregado da escrituração de registros ou expediente em repartição pública).

Ao todo, 1.600 pessoas concorreram às vagas. O resultado sai na próxima semana. Os classificados serão contratados para desempenhar trabalhos burocráticos, por R$ 450 mensais.

'Alexandre, Bianca e Fernando participaram de que edição do programa Big Brother Brasil?' e 'Que famoso casal "global" anunciou, recentemente, o fim do casamento?' foram duas das questões. O teste teve 80 perguntas optativas, divididas em português, matemática, informática e atualidades.

Uma das perguntas foi anulada por erro da organização. Questionava o nome do presidente da Câmara Municipal de Taubaté, mas a opção correta - vereador Luiz Gonzaga Soares (PR) - não constava entre as alternativas.

A seção de atualidades incluiu também questões sobre política ('Quem é o atual prefeito de São Paulo?'), saúde ('Qual é a doença transmitida através do mosquito -Aedes aegypti-?') e esportes ('Quais são os três pilotos brasileiros que disputam a temporada 2008 da Fórmula 1?').

O diretor do departamento de administração da prefeitura, Julio Cesar Oliveira, disse não ver problemas na inclusão das questões na prova. 'Diga por que não pode pôr? Isso é uma coisa da administração. Ela resolveu colocar essa questão e pronto.'

O presidente da Câmara Municipal criticou a prova. 'Esse tipo de pergunta me parece mais relacionada a fofoca do que a conhecimentos gerais. As pessoas poderiam ter sido questionadas, por exemplo, sobre Monteiro Lobato ou Mazzaropi, que fazem parte da cultura de nossa cidade', disse Soares.

Ele afirmou que enviou requerimento ao prefeito Roberto Peixoto (PMDB) solicitando explicações. O documento pede ainda que o prefeito cancele o concurso."

eu achava que o cúmulo da idiotice era terem perguntando, num concurso que eu prestei (por sinal, pra juiz), quem era, depois de madre paulina (paulínia? whatever) o santo brasileiro que estava em processo de canonização (era frei galvão, na época das tais pílulas com as orações). eles conseguiram superar, trocando uma pergunta sobre religião católica por uma sobre BBB e outra sobre casais globais. dá vontade de chorar.

se uma empresa da iniciativa privada quer achar que é importante que seus funcionários tenham esse tipo de conhecimento, paciência. mas um concurso público perguntar esse tipo de coisa faz meu coração doer.

7 comentários:

Emil disse...

Sabe como é Brasil, né, Julie? Não foi feito pra dar certo.

fabiana disse...

Desde quando subcelebridade é cultura nesse país?

Fan disse...

Isso só prova que não estamos no target da referida vaga... eu seria reprovada COM LOUVOR!

très julie disse...

pois é. segundo minha mãe, é porque, se não perguntarem esse tipo de coisa, o povo não vai acertar nenhuma questão.

e também achei uó perguntarem sobre brasileiros na fórmula 1.

Barbie disse...

acho digno. academização dos estudos de CCSL (Ciência das Celebridades de Segunda Linha).
Essa eu teria errado, mas saberia responder a or do ônibus de Sula Miranda e o número das sandálias de Luís Caldas.

paula disse...

No concurso da CEF que eu fiz em 1998 uma das perguntas sobre conhecimentos gerais era: Quem ganhou o último Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1?

très julie disse...

qual é a dos examinadores de concurso com a fórmula 1?
isso é coisa de galvão bueno wannabe frustrado.