Páginas

domingo, 13 de abril de 2008

luz del fuego

(para ler ouvindo fire, de jimi hendrix)

eu não sou exatamente o paradigma de pessoa desastrada. tá certo, eu me bato em quinas de mesa e cabides, costumo ter alguns hematomas que fazem os mais criativos imaginar que eu apanho do marido (nem apanho nem tenho marido), mas não vivo derrubando coisas em mim ou no chão, nem esquecendo minhas chaves ou os guarda-chuvas pelo mundo. mas já percebi que eu sofro de uma piromania involuntária que me deixa deveras apreensiva.

sexta passada acordei e descobri que tinha deixado o forno ligado desde a noite anterior, quando fui esquentar o jantar. eu esqueci o forno aceso durante 12 horas, gente! sem nada dentro, graças a deus. isso me fez pensar no assunto, e me lembrei que:

- certa feita estava acendendo velas de santos numa espécie de trezena particular para santo antônio. aí cheguei em casa do trabalho, esbaforida, acendi as velas pra fazer aquela social com o santo durante a meia hora que eu levaria para me arrumar e sair de novo. o que vocês acham que aconteceu? claro, saí correndo e esqueci de apagar as velas. quando voltei para casa, minha roomate me disse que ela chegou e encontrou 3 tocos de vela e um monte de cera derretida em cima da geladeira (onde estavam as minhas velas). não preciso dizer que santo antônio não me ajudou em nada. ah, e as velas não eram daquelas finas, default, não. eram de santo, grossas, votivas.

- uma vez, estava bem feliz tomando banho, quando o chuveiro elétrico explodiu. não sei se a resistência queimou, se deu um pico de energia, se foi fusível ou que porra aconteceu, mas eu tomei um susto do caralho e ainda fiquei com frio.

- eu tinha um aquecedor elétrico. li as instruções do bicho e já fiquei tensa, afinal tinha todo um lance de luz de emergência, super aquecimento, e mil recomendações para não colocá-lo perto de papéis, cortinas, tecidos, tapetes, madeiras e qualquer coisa inflamável (pergunta: se o piso de sua casa não é de pedra ou cerâmica, você desiste de usar o aquecedor?). usei 2 vezes, em dias bem frios em que nem o pijama de flanela, dois pares de meia, uma colcha grossa e mais o edredon foram suficientes, e mesmo assim acordei a noite toda morrendo de medo da casa estar em chamas. aí, certo dia, estou no computador, com frio, e resolvo que, afinal, qual seria o problema de ligar o aquecedor e deixar o ambiente mais confortável? beleza, liguei ele numa tomada que ficava na parede em frente ao quarto e fiquei lá, bem feliz. eis que de repente, eu olho e o fio do aquecedor está pegando fogo! digo a minha roomate que vá pegar o extintor no corredor do andar, ela levanta calmamente, interfona e começa a dizer ao porteiro (falando bem devagar e serenamente): "o senhor poderia subir aqui? é que tem um aquecedor pegando fogo. não, não, é sério. eu juro, moço.". nesse meio tempo, eu já tinha levantado, ido olhar o extintor, constatado que o mesmo não era indicado para incêndios de origem elétrica, pegado minha havaiana e abafado o fogo, e puxado o aquecedor da tomada, morrendo de medo de tomar um choque.

- um dia estava exercitando meus dotes culinários. acendo o gás e aperto o botão da chama do forno, que não acendeu (mas eu não percebi). um tempinho depois, abri o forno e, quando vi que não estava aceso, eu burramente APERTEI NOVAMENTE O BOTÃO DA CHAMA (atenção, amiguinho, NUNCA FAÇA ISSO, você vai ver porque). o forno estava cheio de gás. o que você acha que aconteceu? sim, veio uma labareda do inferno, digo, do forno, e chamuscou meu cabelo e os pêlos dos meus braços. juro, até hoje eu tenho um tufo de cabelos que não crescem direito e eu acho que a culpa é deste incidente.

milagrosamente, nunca queimei o cabelo acendendo cigarro, mas eu tenho o bom senso de saber que, com esse histórico de eventos, se não for pra acender com isqueiro, fósforo ou, no máximo, vela, que eu deixe de ser intrépida porque vai dar merda.

o problema é: eu adoro velas. nem devia chegar perto, mas adoro, fazer o quê?

eu só espero que minha morte jamais seja tema do darwin awards...

11 comentários:

fabiana disse...

Já pensou em fazer um seguro de vida?

Emil disse...

Há! Precisamos trocar uma idéia sobre chuveiros. Eu não ando assim agora, mas numa época da minha vida a minha presença tinha o poder de pifar chuveiros. Era um saco.

E eu já fiz algo parecido com isso de não perceber que o fogo não acendeu. Foi bonito.

Quéroul disse...

casa com bombeiro.

na vibe 'dois coelhos com um (algo) só...'

Anônimo disse...

Hahahahahahahaha!
Já pensou em fazer um seguro de vida?[2]

Fernanda

Fan disse...

Olhe, realmente você atrai esse show pirotécnico, eu passei o inverno todo dormindo com o aquecedor ligado e ele nunca deu nenhum problema!
Mas tenho que confessar que já coloquei fogo em embalagem de pizza que estava em cima do fogão :-p

Barbie disse...

Menina, tcheutchicontá que minha tia perdeu uma vez as sobrancelhas (!!!!!!!!!! podia ter perdido os olhos, digo eu) numa luta de um forno rebelde quando de um tal bôlo de fubá.
Esse lance do forno é perigosíssimo. Suponho que seu formo fosse a gás (o que eu prefiro mil vezes), porque os elétricos são um perigo esquecer ligado, é uma coisa de queimar a casa, derreter todas as perucas e encaracolar os cílios postiços.

très julie disse...

acho que certos eventos narrados aqui só ocorreram porque eu morava num apartamento antigo, com rede elétrica já com seus probleminhas. aliás, o atual apartamento, também antigo, também tem uma moerda de rede elétrica. as lâmpadas queimam com uma freqüência assustadora. mas antes as lâmpadas que os aparelhos eletrônicos, eu acho.
e meu forno é a gás, sim. acho que esta é a forma mais comum no brasil. já aquecedores a gás me dão um certo pânico.

très julie disse...

e gente, seguro de vida é pra deixar os outros felizes, né?

Barbie disse...

Mas o que é o charme de um apartamento antigo, não é mesmo, minha gente? É nostálgico, eu adouro. Parece sempre que, sei lá, a Ângela Maria pode sair a qualquer momento da geladeira.

paula disse...

hahahahaha Barbie é TUDO. Tudo que você quer ser!

;)

très julie disse...

gente, esse comentário realmente merece o oscar. imagine, ângela maria saindo da minha geladeira?
se bem que eu prefiro a marrom.