Páginas

quinta-feira, 20 de maio de 2010

o ministério da saúde adverte: campanha de vacinação contra a gripe suína faz mal à saúde

na lista de coisas que andam me irritando (que deve estar do tamanho de um catálogo telefônico), está a reação das pessoas à campanha de vacinação contra a gripe suína. você não pode abrir uma notícia daquelas que permite comentários dos internautas, que tem que se deparar com pessoas dizendo coisas como "é, tenho 19 (59, 49, 80, 140) anos e, ao que parece, minha faixa etária não é importante para o brasil..." ou "ah, faça como eu, chegue no posto dizendo que tem diabetes (pressão alta/cotovelo de tenista/verminose/caspa/chulé) que eles te dão a vacina. vale tudo pra se proteger". ou a galera do extremo oposto, que acha que vacinação é, basicamente, injeção letal e que tudo não passa de um plano do governo para matar as pessoas (essa costuma ser a opinião de quem se encaixa na categoria idoso, mas não é exclusiva dessas pessoas).

eu tenho vontade de dizer a essas pessoas que, sim, campanha de vacinação é o novo preto a nova câmara de gás. seja se te dão a vacina e você morre por causa disso, seja porque pessoas de 3 a 19 anos e pós 40 sem doenças crônicas e políticos devem ser eliminadas. e rir se elas acharem que eu estou falando sério. eu cresci tomando vacina contra pólio em posto de saúde, e sou de uma geração onde os casos de pólio são poucos comparados com as anteriores, então qual o sentido de achar que "o Governo" está a fim de inocular veneno na galere? por outro lado, eu gostaria de informar que o fato de vacinarem determinadas faixas etárias tem a ver com o fato de que estas faixas é que tiveram o maior nº de casos ou os casos mais graves da gripe. tem até uma história de que ela é bem incomum em pessoas de 65 anos pra cima, porque parece que rolou uma epidemia qualquer quando esse povo era criança e eles tiveram contato com algum vírus que serviu de imunização, algo do tipo.

e outra, vamos ser racionais. a vacinação faz com que os casos de gripe diminuam em toda a população. se eu impeço determinados grupos de pegarem, isso funciona para o todo. em outras palavras, o povo deveria parar de agir como se, por exemplo, 100 mil casos de H1N1 estivessem destinados a ocorrer no brasil, e, como vacinaram um povo aí, sobrou menos gente pra distribuir os mesmos 100 mil casos, e a chance de você, não vacinado, pegar gripe aumenta exponencialmente.

agora, papo sério: não sei como está aí onde você leitor mora, mas aqui na bahia o que está pegando mesmo é dengue (sem vacina que combata) e meningite. sim, não estão divulgando o nível alarmante que esta doença atingiu por aqui. basta dizer que em 3 dias, chegou a mim a mensagem "vá tomar a vacina de meningite" por 4 canais diferentes, todos de gente que é da área de saúde (e que não se conhecem) e está vendo a bactéria passando o rodo. e eu fui (pagando, claro - mas parece que ampliaram a campanha que está tendo aqui no estado pra o povo de 10 a 24 anos).

H1N1? não fui. como vocês sabem, o brasileiro deixa tudo pra última hora, e eu estou desade ontem tentando. cheguei hoje no posto e estava a matriz do inferno, e certamente o pessoal que estava ali não tinha só entre 30 e 39 anos ou acima de 60 (está rolando a campanha de vacinação do idoso contra a gripe sazonal). é que sexta é o último dia, e todo mundo de todos os grupos-alvo que não foi tomar vacina no seu período devia estar ali. americanas na véspera de natal era ESPAÇOSO em comparação, reflitam. e desisti.

só que, pelo menos aqui, eles prorrogaram, porque a vacinação do povo da 2ª idade e meia (30 a 39, haha) teve o menor índice no estado. por quê? simples: os postos funcionavam basicamente de segunda à sexta, das 8h às 17h, e essas pessoas, em sua maioria, TRABALHAM nesses horários. aí, vai até o dia 28/05, então pode ser que eu tome mais essa furada no braço, semana que vem.

2 comentários:

Dona Baratinha disse...

E tome furada. Sim amiga, tem tempo que não nos falamos, mas você há de convir que eu tô mais baratinada do que meu pseudônimo permite. Saudades. Beijos

Fany Camargo disse...

Veja pelo lado bom. Ano passado H1N1 era a nova peste bubônica, e quase fui isolada quando voltei de férias dos EUA. Índice de mortalidade inferior ao da unha encravada, ops, da gripe comum, e todo um escarcel! Esse ano já temos a maravilhosa vacina para nos proteger de todos os males do universo!
Após 7 tentativas (frustradas) de me vacinar, fui a um laboratório particular e paguei 80 pratas pelo combo H1N1 + gripe comum. Isso foi no dia 25 de abril. Após essa data, já contabilizei 2 gripes fortes no meu curriculum. Que nota???