Páginas

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

always look on the bright side of life

eu preciso aprender a não ser pessimista. não porque isso seja negativo, contamine o ambiente, deixe o cabelo ruim e tal, mas porque não tenho reais motivos para tanto (a não ser uma condição de saúde que me faz ser assim, mas isso é assunto pra um outro post).

porque sim, tudo bem que minha vida amorosa é inexistente, mas isso não quer dizer que ela não poderia ser existente se eu me mexesse ou mudasse certos paradigmas.

não tenho emprego? na verdade, tenho a sorte de no momento poder só estudar pra concurso. quantas pessoas por aí gostariam de ter esta condição? ou seja, se eu sentar o traseiro gordo na cadeira e fizer a minha parte, a coisa com certeza vem.

meu cabelo pode não ser perfeito, mas com certeza não me deixa deprimida, basta um pouco de paciência e de cuidado e ele fica legal (ou pelo menos não me faz passar vergonha). minha pele é boa, não sou alta mas também não sou um gabiru, não sou sem bunda, e basicamente o único problema estético, que é o peso, pode ser resolvido apenas com minha força de vontade (ao contrário de gente que pra ser gatinha, só nascendo de novo).

não tenho problemas familiares daqueles que fazem a pessoa querer morrer de vez em quando (tipo irmão viciado em drogas, ou com tendências suicidas, ou tomando dinheiro emprestado de agiotas, etc). pelo contrário, tenho uma família estruturada e que se apóia (apoia?) mutuamente.

coisas chatas não vivem me acontecendo, e, de uma forma geral, eu tenho alguma sorte. por exemplo, a menina que bateu no meu carro era a melhor pessoa do mundo para bater num carro alheio. antes que eu voltasse de arembepe no reveillon, ela já tinha mandado e-mail dizendo pra eu fazer o orçamento e mandar pra ela. fiz, mandei, dando a opção de ir ver em outro lugar,. e ela respondeu que quem tinha que escolher o lugar era eu! na quinta-feira 09/01 o dinheiro estava na minha conta (sendo que ela mora em aracaju, então a chance de ter dado errado era razoável)!

não vou ficar aqui enumerando as "bênçãos" porque, além de ficar chato pra caralho, ainda corro o risco de que algum espírito de porco fique de olho gordo pra cima de mim (chuta que é macumba!). por outro lado, este post não deve ser lido como provocação, "pollyanice" ou egotrip. é que eu tenho pensado muito sobre isso, e resolvi registrar sobretudo para servir de lembrete para mim mesma. porque, como eu disse a um amigo hoje, é muito fácil entrar numa de hiena hardy e ficar se lamentando sobre como o mundo é péssimo e a vida, cruel. não é. e nem precisa pensar que tem gente morrendo na áfrica, ou sendo obrigado a ouvir kenny g porque seu emprego é de ascensorista. não é que as nossas coisas são boas em comparação, é que elas são boas, ponto.

de forma que eu quero, sim, ser mais positiva, mais solar, menos apática, mais crente, menos distímica. menos eu, num certo aspecto, pra ser mais eu em tantos outros. tudo isso sem precisar ler "o segredo" nem me transformar numa destas Pessoas Irritantemente Cheias De Vida O Tempo Todo (ninguém merece isso).

será que agora vai?

"todo mundo cantando comigo! agora só as virgens, só as virgens! brincadeira, sem preconceito..."

4 comentários:

Emil disse...

É que a gente esquece às vezes. Mas eu juro, a vida é do caralho!

Fany disse...

(tentando me animar a fazer a mesma listinha pra mim)

Rachel disse...

Adorei o post, me identifiquei muito! Até com a parte do carro (no ano passado, bati no carro de um cara que de tão gentil que era, so faltou me pedir desculpas por EU ter batido no carro dele!).

fabiana disse...

Pra mim já é motivo de dancinha de comemoração estilo OS Simpsons, quando encontro um sapato maravilhoso na promoção, e no meu número!

A vida é boa...