Páginas

domingo, 28 de setembro de 2008

i'm not a girl, not yet a woman

a gente percebe que cresceu de verdade quando os pais da gente viajam e, assim que você, sozinha, fecha a porta do apartamento, não é acometida por aquela sensação de "uhu, a casa é minha, yay, festas!" (mistura do guri de esqueceram de mim com adolescentes de comédia americana).

aliás, não sei se isso é crescer ou ficar velho. porque tem outras coisas acontecendo comigo que são a prova de que eu REALMENTE dobrei o cabo da boa esperança. por exemplo, é engraçado como parece que todas as doenças que você nunca teve aparecem tipo um mês depois dos 30. meio como aquelas coisas que dão problema 5 dias depois que a garantia vence.

umas duas semanas atrás eu reparei que minha perna estava meio cascudinha, prestei mais atenção e descobri que minha pele ficou tão seca em certos lugares que estava até despelando! isso de uma hora pra outra. logo eu, que sempre tive pele oleosa e, a despeito da minha vaidade razoável (porém contraditória e complexa, mas isso é assunto pra outro dia) nem tenho saco de usar hidratante todo dia depois do banho no corpo todo (até porque, morando no nordeste, eu fico toda melecada), mas aí caiu a ficha que agora tem que passar, a não ser que eu queira ficar com pele de dinossauro (e não, eu não quero).

eu fico de cara com esse tipo de coisa. até ontem você era de um jeito, e só porque o tempo passou, isso mudou e até você não se reconhece direito. imagino como não deve ser complicadíssimo para pessoas da idade de meus pais, que estão com 60 anos...

sem falar de pensamentos como "é muito infantil eu usar tic tacs no cabelo? posso continuar saindo de camiseta + calça jeans pra quase todos os lugares? eu deveria começar a fazer escova no cabelo regularmente? querer ir no festival planeta terra é irresponsável da minha parte? etc". nesse caso, não é você se espantando com o envelhecimento do corpo; é uma mini crise de "eu estou me comportando como manda a idade ou estou me achando louquíssima e sendo apenas ridícula?". sei lá, tem horas que eu me acho totalmente adulta, e noutras, não consigo pensar em mim como uma MULHER. fica uma vibe meio "i'm not a girl, not yet a woman", quando, cronologicamente, eu já sou woman há bastante tempo.

gente, será que é o inferno astral chegando?

p.s. o fato é que o tempo passa mesmo, pra todo mundo: outro dia estava vendo a favorita e a tal stella, e só depois eu descobri que é paula burlamaqui. gente, paula burlamaqui, que até outro dia era o protótipo da mulher gostosa, agora está uma coisa assim, senhorinha! como assim, bial?

p.p.s. e respondendo o pessoal que disse "tô aqui!", fico bem feliz de saber, e reconheço que estou mega relapsa com relação ao pessoal que mora em outros estados. acreditem, é uma mistura de "mas minha vida está tão chata e não tenho nada pra contar!" com preguiça de escrever (preguiça essa atestável pelas fases que eu andei escrevendo aqui de caju em caju, apenas). mas estou melhorando, juro.

4 comentários:

Fernanda disse...

Esse parágrafo dos pensamentos sobre o que usar é totalmente eu!

Uma noite dessas fui jantar com amigos e esposas do marido. Chegaram umas mulheres mega-arrumadas (tradução: curitibocas) e eu de chuteira e suspensório. Normal. O que me deixou de cara foi saber que elas tinham a minha idade ou eram até mais novas do que eu! Medo com muito molho em cima!

Eu sempre olhei pra esse tipo de mulher e pensei "ah, mulheres mais velhas e sérias". Mas nunca antes eu tinha me dado conta que eu estou na idade de ser uma mulher dessas!

Luis disse...

A Paula Burlamaqui tá bonita ainda...é só ela reverter aquele enchimento que ela botou na boca...tá horrível, parece que ela botou uma dentadura nova e a boca ficou pra frente...ela tá falando esquisito tb.
Bjs

menina_pati disse...

eu estou nessa mais ou menos... O meu Charlie Brown me fala que a namorada dele é muito nova, acabou de fazer 20 anos. Eu estou para abrir a boca e falar "ah, qual é!" quando penso que daqui 3 meses vou fazer 26 e me sinto velha velha velha VELHA. De repente me pergunto QUE DIABOS estou fazendo num boteco bebendo cerveja e não num bar Super Fashion tomando algum drinque de champanhe com diamantes.

Em tempos, se você quiser usar tic tac no cabelo, o único lugar no planeta aonde isso além de não só aceitável depois dos 10 anos de idade como é sexy, é a China.
Venha para cá, usaremos tic tacs no cabelo, beberemos cerveja, vestiremos jeans e camiseta branca assistindo um maravilhoso pôr-do-sol.

Ok, encoberto por uma espessa camada de poluição.

bitoca!

p.s: assumo que "tic tacs" sejam presilhas coloridas que fazem tic tac quando abrem e fecham. Caso você estiver falando das balinhas, pode usar também aqui na China. É FASHION.
Céus.

fabiana disse...

Outro dia, minha chefe (advogada) me censurou ao me ver com a minha velha camiseta dos Beatles, casaco de couro e calça jeans.

Comássim Bial? Eu ainda tenho 27!

Ela disse que eu me vestia como há 8 anos quando entrei aqui...

As pessoas são tão sinceras, não é mesmo? Desencadeou uma crise em minha pessoa.