Páginas

terça-feira, 10 de junho de 2008

ainda o dia dos namorados

eu sei que está parecendo que eu estou fazendo campanha CONTRA a data, mas nem é. é que pela proximidade, o mundo surta cada vez mais e eu junto.

o oba-oba me mandou uma mensagem "especial dia dos namorados". olhem só:

"A data comemorativa mais amada e odiada do ano é o Dia dos Namorados. Alguns casais aguardam pelo dia 12 de junho ansiosamente, trocam presentes, saem e vão se divertir. Já os solteiros não têm muitas opções, ficam em casa ou vão para a pegação.

Uma coisa é certa, esse dia não pode passar em branco. Para o proveito dos pombinhos, sugerimos roteiros dos mais românticos aos mais calientes, além de darmos dicas de presentes criativos. Se você está sozinho, aproveite os roteiros recomendados para diversos tipos de solteiros, dos deprês até os pegadores!"

em primeiro lugar, eu queria dizer que eles estão certos quanto à parte de que os solteiros, nesta data, não têm muitas opções. vejam bem, eu nunca experimentei ir para o bar (bar mesmo, buteco, não barzinho) no dia 12/06 (e estou considerando experimentar esse ano, quem quiser que me acompanhe), mas nunca pude sair para jantar, e já fui pra balada com amigas.

e eu acho UÓZÍSSIMO essa coisa de "festa dos solteiros no dia 12", que significa na verdade "e viva a putaria". se estivesse todo mundo na vibe da pegação pura e simples, a coisa era até mais compreensível. mas tem muita gente - sobretudo meninas - com a esperança de beijar no dia 12/06 e com isso, acontecer uma "mágica" e começar um namoro, assim, despretensiosamente. e quem está solteiro e resolveu se enfiar nesse tipo de programa, muitas vezes, quer aproveitar a data para mostrar ao mundo que está bem feliz sozinho. e aí, a festa vira um campo de guerra onde você não dá dois passos e tem gente se atracando. eu fui uma vez ao lanterna onde minha lembrança é a de ter ficado sentada no batente ouvindo um cara tocar músicas chatas no violão e de repente olhar e ter uma menina com uma calça jeans onde tinha a cara de um urso pintado em cada joelho. ISSO é deprimente, não o fato de eu estar, na época, solteira.

pra mim, festa dos solteiros é igual a terça-feira de carnaval: uma urgência de se divertir de forma semi orgiástica, bebendo, pegando gente, aprontando e até usando entorpecentes, naquele desespero de "é minha última chance de poder fazer isso". gente, recadinho: todo carnaval tem seu fim é só o nome de uma música dos los hermanos, valeu?

p.s. sou totalmente a favor do dia 12 passar em branco, se é a vontade do cidadão, seja ele namorado, casado, amigado ou solteiro.

p.p.s. o oba-oba apóia nossa campanha pela criminalização do coração com bracinhos. e eu embegei, a foto que tem no site mostra EXATAMENTE o coração que eu descrevi. leiam a matéria aqui.

2 comentários:

Momó disse...

Jules, acho válido disseminarmos a idéia do abaixo assinado, ou pelo menos da lenda alternativa. Vai nos poupar de ver por aí esses corações ridículos. E não tenho a menos pena dos "fazedores" de coração que vão ficar desempregados. Que confeccionem almofadas...(das normais, pufavô).

fabiana disse...

Medo desses recadinhos automáticos!