Páginas

sábado, 9 de maio de 2009

brasil: ame-o ou deixe-o? quero uma 3ª opção!

tem horas que eu penso que esse país não tem jeito, e só nascendo de novo.

começo esclarecendo que não sou antipatriótica, nem penso que gostaria de mudar de país correndo se tiver a menor chance. nunca morei fora, mas imagino que, assim como eu saí de salvador e, em são paulo, era mais baiana que aqui (mesmo a quilômetros do estereótipo), lá fora eu teria saudade de muitas coisas daqui e terminaria encarnando uma brasileira com muito orgulho. em tese.

em tese porque, por outro lado, o comportamento dos conterrâneos no exterior, por vezes, me mata de vergonha. não estou falando, por exemplo, daquela brasileira na suíça que supostamente forjou um ataque a si mesma e alegou ter sofrido agressões de neonazistas, porque isso não é um comportamento típico do brasileiro, mas sim atribuível a pessoas de qualquer nacionalidade que tenham perturbações psicológicas, ou estejam desesperados sem querer voltar para seu país de origem. o que me faz querer morrer é chegar numa cidade como buenos aires e perceber que pessoas que nunca tinham ido lá decidiram pular o city tour para ter mais meio dia de compras (já seria um e meio sem o city tour). minha mãe me disse que, em outubro do ano passado, quando ela, meu pai e minha irmã estavam lá, o povo via qualquer coisa e ligava (de celular, DDI) para dizer "fulano, tem tal coisa aqui, tá barato, você quer?", e que ela não se espantaria se tivesse gente comprando até ovo dentro deste critério.

uma das coisas que mais me irrita NO MUNDO é o comportamento "lei de gerson": gente que "quer levar vantagem em tudo, certo?". eu acho isso um verdadeiro câncer. é por causa deste tipo de pensamento que a gente vê o povo, no trânsito, que dirige pelo acostamento ou pela contramão e, depois, quer entrar na sua frente. as pessoas não apenas fazem isso como ainda se acham mais espertas que a maioria dos ursos (/zé colmeia), e consideram otário quem não faz.

já fui sacaneada pela galera porque avisei ao professor que a nota estava errada para mais. claro, na hora de reclamar que a soma deu menos do que deveria, todo mundo faz. aparentemente, também sou otária porque devolvo troco a maior, ou porque não fico caçando formas de sonegar imposto de renda, ou porque sempre dou 10% de serviço (fora quando o serviço é horroroso, como forma de protesto).

outro dia eu fui obrigada a ouvir educadamente (e sem poder discutir) a seguinte pérola: "ah, se sua avó ainda fosse viva, e acm também, ela poderia falar com ele pra ele resolver sua situação e botar você pra dentro do tribunal" (como juíza). porque né?, já que tem mutreta no concurso, eu também mereço ter a minha mamata. OI?????? isso sendo que minha avó não era amiga de acm, sendo que se eu sonhasse que isso aconteceu, ia morrer de vergonha própria, além de me sentir diminuída na minha capacidade.

ó, não dá não. as pessoas reclamam do congresso nacional, mas acham certo entrar com ação indenizatória por danos morais com base em QUALQUER COISA (vamos aprender que MEROS DISSABORES E ABORRECIMENTOS NÃO CARACTERIZAM DANO MORAL?). ou então assinam contrato de banco e cartão de crédito, ficam devendo (não pelas circunstâncias, mas quase que de forma premeditada) e aí, entram em juízo pra renegociar as cláusulas e pagar quase nada. porque otário, claro, é quem pagou todas as parcelas. ou então usam o argumento de que os preços são indecentes e fazem carteirinha de estudante falsa.

aliás, o angu da carteirinha de estudante tem muito caroço. porque é bonito o governo inventar a lei da meia entrada e repassar a galinha pulando para o promotor do show, o dono do cinema e tal, sem pagar um centavo de subsídio. fazer compras com o cartão de crédito dos outros é sempre bom, né? agora, o motivo pelo qual um estudante deveria ter o direito de pagar meia entrada num show do chiclete com banana escapa à minha compreensão.

sabe o que é pior? é que se você quer ser correto, toma na bunda com areia. os preços dos ingressos ficam sim mais caros, já que, na prática, mais da metade deles será vendido pela metade do valor. os coleguinhas que ficam inadimplentes e conseguem liminar pra suspender a cobrança da luz fazem com que o custo seja repassado para os coleguinhas que pagam as suas contas. idem para os que têm gato de luz e água. idem pra quem frauda a previdência social (não estou falando das fraudes milionárias, e sim daqueles cidadãos que recebem pensão de quem já morreu, porque se "esquecem" de avisar ao INSS).

por exemplo, vocês sabiam que em são paulo tem uma ação civil pública para impedir a eletropaulo de suspender o fornecimento de energia elétrica aos usuários praticantes de fraude - ou, em outras palavras, proibindo a eletropaulo de cortar a luz de quem faz gato? porque energia elétrica é um serviço essencial. por causa disso, quem não tem gato e nem liminar está basicamente bancando a conta desse pessoal aí, sem sequer ter sido consultado.

enfim, são muitos exemplos de coisas que me dão vergonha de ser brasileira (além da certeza de que tem algum gene sueco em mim) - não que eu seja corretíssima, porque não sou -, e é por isso que eu acho que, certas horas, só nascendo de novo. em outro planeta, de preferência.

p.s. não me perguntem porque eu ando nessa vibe reclamona e raivosa, porque eu juro que não sei.

6 comentários:

Quéroul disse...

nojinho, né?
tb odeio essa coisa de levar vantagem em tudo, pra tudo 'dar jeitinho'...

não que os outros não façam, mas aqui é tudo mais exagerado.
nem curto.

Caminhante disse...

Eu fiquei muito pasma uma vez que uma amiga - que assim como todo mundo não gosta de corrupção e etc - insatisfeita com seus colegas de trabalho no serviço público, me falou que ia falar com acessor-de-alguma-coisa que foi colega de faculdade do irmão pra conseguir um meio periodo pra ela. Oi?

paula disse...

nossa percepção do que é corrupção tá tão distorcida que dá medo! Não só corrupção, mas ética, justiça, equidade...

dá medo!

Fany disse...

Cara, isso me irrita MUITO.
Tento ser o mais correta possível (claro que eu tenho vários deslizes - carteirinha de estudante falseta foi um deles - mas já passou eu juro que tento me manter na linha), e quando vejo pessoas tentando se dar bem... grrrr, eu saio de mim !!!
Realmente, corrupção é um conceito distorcido... é só aquilo que tá láááá longe, no congresso... mas no dia a dia não! É fácil condenar quem rouba grandes montantes, mas as pequenezas do cotidiano 'não contam', são apenas ser esperto!
E você fica como o tonto que não fura fila, não anda na contramão (ou contra-mão ?! help reforma ortográfica!) em estacionamento de shopping, devolve troco a maior...
Mas, como diria Capital "Se eu for ligar pro que é que vão falar não faço nada..."

Dona Baratinha disse...

Eu tenho HORROR a qualquer tipo de desonestidade, desde aquela desonestidade boba, tipo diminuir uma coleguinha de sala quando se é bem novinha, até as piores desonestidades. HORROR

Cristiane Coelho disse...

E o que mais me irrita é o zé povinho indignado com as bandalheiras do Congresso, qdo a maioria, se estivesse lá, faria igual ou pior. Eles são um espelho do povo. Acho uma pena, mas não sou muito otimista qto à mudança dessa cultura do jeitinho...